Aprenda a lidar com o ressecamento do rosto, pés e mãos no tempo frio

Aprenda a lidar com o ressecamento do rosto, pés e mãos no tempo frio

Com a aproximação do inverno, o tempo fica cada vez mais seco e frio. As partes do corpo que ficam mais expostas acabam sofrendo com a falta de umidade Nathália Carvalho

Leia também: pé ressecados pomada

O outono começou em março e com ele veio o aumento gradativo do tempo seco, intensificado pelo fim do período de chuvas. Com a aproximação do inverno, no próximo mês, as temperaturas ficam cada vez mais baixas e o ressecamento da pele torna-se inevitável. O Portal ACESSA.com pediu ajuda de uma especialista para encontrar o melhor jeito de cuidar do rosto, cabelos, pés e mãos nessa época do ano. Essas são as partes do corpo que costumam ficar mais expostas, mesmo que estejamos bem agasalhados e portanto, são as que mais sofrem nesse período.

A dermatologista Vânia Piccinini está acostumada a tratar dos problemas típicos do tempo seco. Para ela, a principal causa do ressecamento da pele de uma forma geral é a diminuição da ingestão de líquidos e os banhos muito quentes. “Como não está tão calor mais, as pessoas acabam esquecendo de beber água e a falta de hidratação do corpo reflete também na pele. Já os banhos devem ser tomados no período quente do dia, evitando que sejam à noite. Caso contrário, a gente acaba optando por água em temperatura muito baixa e isso faz mal para a pele”, explica.

Perfumes: saiba as fragrâncias que combinam com as diferentes mães
Lojas apostam em kits e descontos para o Dia das Mães
Sexualidade: Pequeno manual da traição. Como, quando e onde?
Rosto e cabelo
O rosto está exposto o tempo todo. Ele sente o frio, o sol, o vento e a falta de umidade e, portanto, o cuidado com ele deve ser especial. “O protetor solar é peça-chave. Deve ser usado diariamente, mesmo quando não vemos o sol. É importante também usar um hidrante próprio para o rosto, mas não tem um número certo de vezes para passar durante o dia. A dicas são os produtos que unem hidrante com filtro solar, o que facilita o uso”.

Mas a dermatologista lembra que não adianta usar qualquer produto, deve-se ficar atento ao tipo de pele. “Quem tem a pele oleosa não pode usar o mesmo creme de alguém que tem a pele mais seca, por exemplo. Cada um tem o seu tipo, do contrário não causa efeito”. As opções para quem quer um resultado melhor são os tratamentos dermatológicos como peeling, laser, limpezas e utilização de ácidos mais fortes. “É a época ideal para fazer esse tipo de ação, o resultado é ainda mais rápido e eficiente”, garante.

Outra lembrança refere-se aos lábios e aos cabelos. “Os lábios ressecam muito e, às vezes, até ganham rachaduras. Não podemos esquecer de usar o protetor labial sempre”. Já para o cabelo, a dica de tomar banho durante o dia é redobrada. “Lavar o cabelo a noite e na água quente não vale de nada. O cabelo pode cair, ficar oleoso e ainda corre o risco de criar uma dermatite”. A médica explica que o ideal é lavar o mais cedo possível, para dar tempo de secar o couro cabeludo ao longo do dia. “E para quem faz uso de secadores e chapinhas, atenção redobrada. Não esqueça de passar cremes e protetores”.

Mãos
Olhar: sobrancelhas transformam o rosto e a beleza da mulher Confira as sugestões de maquiagem para o outono/inverno Salões oferecem diferentes tipos de decoração para as unhas
As mãos ressecam, principalmente, para quem tem o hábito de lavá-las com frequência ou de quem faz uso de produtos tóxicos no trabalho. “A dica para essas pessoas é usar hidratante próprio para as mãos ou até mesmo um corporal e, claro, fazer uso de luvas”. Uma questão importante, segundo a dermatologista, é a atenção na hora de fazer unha. “Nessa época, a proliferação de bactérias nas feridas dos dedos aumenta e por isso seria interessante levar seus próprios utensílios para a manicure. Não tire tanto as cutículas e, caso seja possível, passe creme hidratante próprio para elas antes de dormir.”

Pés
Vânia acredita que os pés são os mais esquecidos de cuidados no período. No inverno, é melhor usar calçados mais fechados e meias. “O pé chega a rachar devido ao ressecamento, então novamente devemos usar hidrantes, de preferência a noite ou depois do banho. Só não esqueça de calçar uma meia logo em seguida, se não o creme sai todo no chinelo”. As manicures devem ficar atentas para também não inflamar os cantos das unhas. “Tirar muita pele ou cutícula pode causar inflamação, aí depois fica difícil usar um sapato fechado. Caso já esteja com esse problema, procure trocar os sapatos com frequência, porque o uso contínuo traumatiza pontos da unha, chegando ao ponto de descolá-las”.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *